Movimento Bandeira Vermelha

7 ago

Vivemos em um país dominado pelo imperialismo em todos os aspectos: econômico, cultural e político. Na economia, os grandes monopólios imperialistas controlam ramos fundamentais da economia brasileira, e, a cada ano que passa, a desnacionalização da economia avança. O governo vende-pátria, seus tecnocratas e burocratas concedem generosos empréstimos e financiamentos ao capital estrangeiro, aprofundando ainda mais a desnacionalização. Nossos rios, matas, florestas e riquezas naturais, que deveriam pertencer somente ao povo brasileiro, e a mais ninguém, são de nós saqueados para satisfazer os interesses dos monopólios imperialistas estrangeiros. Em sua sede insaciável pelo saque de nossas riquezas, o imperialismo se utiliza de seus lacaios internos, os latifundiários e grandes capitalistas, para engolir enormes vastidões de nossa terra nativa e submetê-las ao tirânico regime da monocultura da soja e da cana. Em decorrência disto, camponeses e povos originários são submetidos a todo tipo de violência e ataques, despejados às dezenas de milhares de suas terras para atender ao interesse dos imperialistas por nossas matérias-primas. A monocultura avança de maneira violenta sobre as lavouras dedicadas ao abastecimento do mercado interno, causando duros golpes sobre nossa economia e obrigando nós, brasileiros, habitantes de “terras em que se plantando tudo dá”, a tornarmo-nos importadores de alimentos e demais produtos que temos todas as condições de produzir.

Na cultura, somos bombardeados diariamente com o lixo produzido pelos países imperialistas, que entorpecem grandes parcelas das massas populares. Em lugar de uma cultura nacional, científica e de massas, difunde-se em larga escala o oportunismo, o complexo de vira-latas, a submissão ao estrangeiro, o “patrioterismo de copa”. A verdadeira cultura produzida pelas massas populares brasileiras é tratada como algo estranho, o que leva grandes parcelas de nosso povo, particularmente as massas pequeno-burguesas, a exaltarem muito mais o que vem de fora do que o que é produzido aqui. Na política, predomina o oportunismo, o curralismo eleitoral e demais práticas degeneradas. Os grandes capitalistas e latifundiários brasileiros, lacaios históricos do imperialismo, apresentam o farsante sistema eleitoral como a fina flor da democracia, muito embora a ocupação de cargos públicos seja um privilégio dos poucos que recebem vultuosas doações das grandes empresas, empreiteiras e especuladores. A esmagadora maioria dos políticos brasileiros é, por excelência, grandes capitalistas ou latifundiários, e quando não o são, atuam diretamente para atender os interesses desse grupo.

Todos esses fatores, perfeitamente constatáveis por uma breve observação da realidade, existem e se desenvolvem, porque o Brasil é um país fundamentalmente semicolonial e semifeudal. Ao contrário do que dizem alguns apologetas da ordem imperialista, o Brasil ainda precisa conquistar sua verdadeira independência e só realmente a conquistará travando uma dura e longa batalha contra o imperialismo e os seus aliados internos e externos. Para realizarmos tal feito, é mais do que necessária formar uma ampla Frente Única de todas as classes e forças sociais democráticas, anti-imperialistas, que lutam por democracia, por soberania nacional, por justiça social e pelos direitos do povo.

O Movimento Bandeira Vermelha é uma organização que surge do trabalho do COLETIVO BANDEIRA VERMELHA com o objetivo de promover a ideia da formação de uma Frente Única e buscará organizar as massas de jovens estudantes, operários e camponeses, elevando o seu nível de consciência.

CONHEÇA A SEQUÊNCIA DO NOSSO TRABALHO:

http://www.movimentobandeiravermelha.blogspot.com

Imagem

União Reconstrução Comunista

7 ago

“O Partido não tem dono. Ele pertence à classe operária que saberá reconstruí-lo.” – José Duarte, militante histórico  do Partido Comunista do Brasil

A União Reconstrução Comunista visa ser um polo aglutinador de todos os militantes revolucionários e ativistas descontentes com os rumos tomados pelo movimento comunista em nosso país, destruído e corroído pelo revisionismo e oportunismos de direita e esquerda.

Após longos estudos e debates, e um ano da fundação do Coletivo Bandeira Vermelha, conquistamos, enfim a base da unidade orgânica que norteia nossa prática: a unidade ideológica na teoria do proletariado desenvolvida por Marx, Engels, Lenin, Stalin e Mao; a luta pela refundação do Partido Comunista do Brasil com base na teoria revolucionária do proletariado; a necessidade de se levar a cabo a Revolução Proletária dentro das condições concretas de nosso país.

As recentes eclosões de manifestações populares, que sacodem o Brasil de norte a sul, mostraram uma vez mais a capacidade combativa de nosso povo, que sem dúvida está disposto a lutar por melhores condições de vida. Porém, o que ficou demonstrado claramente é que nenhum avanço e transformações de fundo ocorrem de maneira espontânea. Somente um disciplinado e organizado partido proletário Marxista-Leninista poderá levar as lutas para a vitória, evitando os caminhos das derrotas que hipoteticamente possam ser impostos pela grande burguesia brasileira, seus partidos e pelo revisionismo. O Partido que, com a ajuda das grandes massas do povo, devemos reconstruir, não se trata de um partido voltado para a disputa de eleições ou para conquistar um ou outro cargo na administração de governos burgueses, mas sim para organizar e orientar as lutas operárias, camponesas, estudantis, etc. por suas reivindicações políticas e econômicas, pela construção de um novo Estado democrático, popular e socialista, sob o controle direto das massas organizadas, que nada tem a ver com a velha democracia imposta pelos poderosos, que consiste na velha rotina de apertar um botão a cada dois anos para, depois, nunca mais se falar nisso. O novo Partido, de caráter proletário, portador da ideologia do Marxismo-Leninismo, não pode ser uma agremiação eclética de caráter social-democrata ou trotskista. Deve combater com firmeza toda ideologia e concepções alheias ao Marxismo-Leninismo, fortalecendo o seu domínio da teoria avançada do proletariado. A União Reconstrução Comunista se baterá firmemente para a aplicação desses princípios na luta pela reconstrução do Partido Comunista no Brasil.

Conheça a URC: www.uniaoreconstrucaocomunista.blogspot.com.br/

URC

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.