Filipinas: Operações do NEP causaram 28 baixas contra a reação

4 ago

cordillera-NPA

No último 3 de agosto de 2013, o Comando Rodante Urtal (CRU) do Novo Exército Popular das Filipinas informou que, durante suas últimas operações feitas entre junho e julho de 2013, cerca de 28 baixas foram causadas entre as tropas do exército reacionário filipino, com 17 executados e 11 gravemente feridos. O porta-voz do CRU do NEP, Ka Amado Pesante, declarou: “Tais ações militares aconteceram nos povoados de Avelino, Cuenco e Lankandula, no munícipio de Las Navas da província de Samar do Norte, deixando 12 mortos e 2 feridos do lado do inimigo. Um combatente vermelho sacrificou sua vida e quatro foram feridos durante as ações. Enquanto isso, no povoado de Victoria, deixamos 5 mortos e 9 feridos no lado do inimigo, durante as operações de 25 junho. Aqui, nenhuma baixa foi causada contra nós.”

Ka Amado Pesante ressaltou que tais ações militares foram feitas em resposta à crescente demanda popular pela punição dos soldados do exército filipino, responsáveis por inúmeros assassinatos, estupros e torturas contra camponeses da região. De acordo com o informe, um camponês dirigiu uma reclamação às autoridades revolucionárias da região, segundo a qual os soldados das “Forças Armadas das Filipinas” haviam incendiado sua lavoura no valor de 42 mil pesos durante operações recentes.

O porta-voz rechaçou ainda as mentiras lançadas pela imprensa filipina segundo a qual o Exército Vermelho estaria prestes a ser liquidado: “Nas regiões próximas de onde operamos, 53 camponeses foram sequestrados e obrigados a aparecer como ‘soldados do NEP que se renderam’. Por conta das vitoriosas ofensivas feitas pelo NEP, as tropas reacionárias estão borradas de medo em suas operações. Ainda que estejam em enorme número, eles não ousam sequer dormir no chão ou cruzarem rios com medo de nossos ataques. O regime de Aquino enviou seis batalhões e uma unidade de forças especiais para Samar do Norte, mas parecem cachorros fugindo com o rabo entre as pernas quando emboscados pelo NEP. […]”

Ka Amado fez um chamado às unidades do NEP em Samar do Norte para intensificarem e levarem a cabo novas ofensivas táticas em resposta ao chamamento do Partido Comunista das Filipinas para derrotar a famigerada “OPLAN Bayanihan” e elevar a Guerra Popular à etapa do equilíbrio estratégico nos próximos anos.

Filipinas: Emboscada do Novo Exército Popular deixa oito mortos

8 jul

Formation

Oito agentes do XXXI Batalhão de Infantaria do exército reacionário filipino foram executados por combatentes vermelhos do Novo Exército Popular na manhã do último dia 6 de julho de 2013.

Os combatentes vermelhos do NEP rechaçaram com sucesso a tentativa das tropas fascistas de levar a cabo sua campanha de “cerco e aniquilamento” e causaram golpes pesados contra as mesmas. Um sargento foi executado na ação e sete outros soldados foram mortos quando o NEP detonou explosivos e atirou contra eles. O porta-voz da Brigada de Infantaria do exército reacionário filipino, coronel Joselito Caquilala, confirmou o número de soldados executados.

Durante a tarde do mesmo dia, combatentes vermelhos do NEP detonaram bombas contra um veículo da “Polícia Nacional” filipina. Durante a explosão, vários policiais ficaram feridos.

No decorrer das ações, o combatente vermelho Ka Gerald foi martirizado pelas balas do exército reacionário. O comando do Novo Exército Popular prestou seus maiores tributos ao guerrilheiro que tombou na luta.